• Endereço

    Rua Botucatu, 448, Vila Clementino, São Paulo

Hiperidrose

Hiperidrose: trate o problema com toxina botulínica

 

Hiperidrose é o nome dado à condição que leva as pessoas a transpirarem em excesso.

E você sabia que na dermatologia nem só de rugas vive a toxina botulínica?

Existe uma indicação bastante importante e que nem sempre é conhecida das pessoas, que é o tratamento da hiperidrose.

 

A hiperidrose afeta pelo menos 2% da população mundial

Esse dado seguramente é subdimensionado, porque as pessoas nem têm conhecimento que essa queixa pode ser levada ao médico e que pode receber algum tipo de tratamento.

Você sabe o impacto na qualidade de vida que isso pode representar.

Há algum tempo um paciente me mostrou uma foto, na qual ele fazia a apresentação de uma nova campanha a alguns clientes muito importantes.

Na foto podia-se ver que onde ele estava parado, quando ele estava com braço estendido, tinha uma poça d’água formada pela sudorese que ele tinha nas mãos.

Imagine o que isso representa na vida de uma pessoa.

Imagine esse rapaz cumprimentando os clientes após a sua apresentação. Ele precisava selecionar qual a roupa e qual a cor que iria usar, porque logo que ele vestia uma camisa se formava a popular pizza debaixo do braço.

O impacto da hiperidrose é muito grande na qualidade de vida.

Infelizmente essa hiperidrose é muito pouco responsiva aos tratamentos clínicos existentes, sejam os múltiplos desodorantes antiperspirantes e produtos que tentam esse controle localmente.

Existem alguns outros métodos de tratamento, inclusive cirúrgico.

Você tem medo de fazer uma aplicação de toxina botulínica? Clique aqui e perca o medo! 

A cirurgia

Existe uma cirurgia que é chamada simpatectomia que consistia, há muito tempo, numa abertura torácica para destruição de um gânglio que estimula a produção das glândulas sebáceas.

Hoje ela é menos invasiva, graças à tecnologia de vídeo cirúrgico, mas infelizmente essa técnica apresenta um efeito adverso muito significativo.

 

Efeito adverso

Mais de 50% dos pacientes que se submetem à simpatectomia cirúrgica podem desenvolver um quadro que é chamado de sudorese compensatória.

Então você tem uma sudorese excessiva na axila, faz o procedimento cirúrgico e após um determinado período começa a suar no abdômen, na região umbilical, nas costas.

Eu tive um paciente que passou a ter sudorese na região da virilha. Era um garoto que sofria um bullying tremendo na escola, porque estava sempre com as calças molhadas.

 

Tratando com toxina botulínica

É para essa indicação que nós podemos também lançar mão da toxina botulínica.

Ela vai agir bloqueando as terminações colinérgicas, que estimulam a produção do suor, e pode ter resultados bastante interessantes.

A técnica é delicada, simples. Dominando e tendo conhecimento, nós podemos ter grandes resultados. A principal indicação é para a hiperidrose axilar.

 

Execução

Antes de mais nada o paciente vai fazer um teste, que se chama teste de Minor. É feita a aplicação de uma solução iodada e depois aplica-se um pouco de amido.

A reação do iodo com o amido onde você tem a transpiração vai dar uma coloração violácea, o que permite que nós tenhamos uma melhor demarcação da área que necessita de tratamento.

Porque às vezes você tem uma sudorese intensa em toda a axila e você percebe que tem um foco mais limitado, que é o que geralmente vai dar essa área toda comprometida.

Depois disso é feita uma marcação, respeitando cerca de 2 cm entre os pontos em que vão ser feitas as injeções intradérmicas, respeitando a área de ação da toxina.  

A partir dessa marcação será possível dimensionar o número de picadas, o número de unidades de toxina necessárias para que se tenha um resultado satisfatório.

 

Resultados e durabilidade

Após a aplicação o resultado não é imediato.

O resultado máximo será atingido após algumas semanas da aplicação, mas ele costuma ser espetacular.

Ao contrário da finalidade estética, que geralmente permite que tenha uma satisfação entre 4 a 6 meses, aqui nós temos períodos mais longos, podendo ser de 9, 10 meses ou até 1 ano.

Muitos pacientes recorrem a esse tratamento uma vez ao ano, para manter o seu estado seco, livre dessa transpiração excessiva.

Aposto que você vai conhecer alguém que sofre desse problema e que provavelmente não sabe que pode ter uma solução para que ele esteja cada vez melhor.