• Endereço

    Rua Botucatu, 448, Vila Clementino, São Paulo

Tudo que você precisa saber sobre cicatriz

Recentemente passei por uma cirurgia (a Fefa também) e numa consulta com a minha super dermato Dra. Sabrina Talarico, conversamos muito sobre os cuidados com a cicatriz!

Postei no Stories e muita gente pediu para falar sobre esse tema com maiores detalhes…

dra. Sabrina atendeu ao meu pedido de prontidão (ela é demais!!!!!!) e nos presenteou com esse texto super rico sobre cicatriz!

Espero que ajude muito vocês!

Sempre que realizamos um procedimento cirúrgico é muito comum que existam dúvidas e receios com relação a cicatriz. Em primeiro lugar é importante deixar claro que toda cirurgia vai gerar uma cicatriz! É claro que o domínio de técnicas cirúrgicas, conhecer bem o seu paciente e atuar adequadamente em cada fase da cicatrização buscam tornar a  marca resultante o mais discreta possível, mas não podemos dizer que ela não existe!

Existem muitos fatores que podem influenciar na velocidade e qualidade da cicatriz:

  • O Primeiro deles envolve a capacidade genética de cicatrização do próprio paciente. Sabemos que algumas pessoas tem uma tendência a pior cicatrização, além disso condições como má nutrição, diabetes (principalmente se mal controlado), idade avançada, tabagismo e uso de alguns medicamentos também podem influenciar.
  • Outro fator importante é a região que está sendo abordada. No mesmo indivíduo diferentes áreas do corpo têm diferentes capacidades de cicatrização, áreas com muitas glândulas e que não tem muita tensão (como rosto por exemplo) costumam cicatrizar mais rápido e com ótimo resultado estético. Regiões com tensão, sujeitas a muita movimentação ou com menor suprimento vascular tendem a demorar mais e tem maior risco de cicatrizes inestéticas (costas, colo, pernas).
  • Fatores locais como infecção, hematoma, pressão sobre a ferida e acúmulo de secreções também podem alterar o processo.
  • A técnica cirúrgica adequada (assepsia, material, posicionamento da cicatriz seguindo as linhas de força naturais, controle do sangramento etc)  também pode ser importante para o resultado final.

No pós operatório o paciente também tem papel importantíssimo na evolução incluindo seguir as orientações de higiene local, hidratação, uso do curativo (cujo tipo vai depender da necessidade caso a caso), cuidados com a exposição solar,  seguir as orientações com relação a restrições de movimentos e exercícios, assim como qualquer outra orientação dada pelo médico.

O processo de cicatrização é  longo, muito complexo, dinâmico e passa por várias fases diferentes. Conhecendo as necessidades de cada uma destas etapas podemos atuar como “facilitadores” do processo otimizando o resultado final tanto em termos funcionais como estético. Nossa ação pode ser apenas de assegurar a evolução natural, ou intervir quando for necessário com uso de laser, infiltrações, toxina botulínica e uso de produtos tópicos para melhora da coloração, espessura e textura, de acordo com cada caso.

Alguns autores afirmam que esta evolução da cicatriz pode chegar de um até dois anos para se completar! Por isso cuidados como o uso de filtro solar devem ser mantidos por todo este período.

Procure sempre um profissional habilitado e tire todas as suas dúvidas com relação ao procedimento a ser realizado.

FONTE: PROMOVIDA A MÃE